Seu browser não suporta JavaScript!


Alunos do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio elaboram vídeo institucional para o Hospital Zona Sul

Publicado em 27 de junho de 2017

O projeto de pesquisa com atividades de extensão intitulado: IFPR na implantação e implementação de estratégias para segurança do paciente em serviços de saúde: integração saúde e tecnologia.

Confira o vídeo!

A proposto do projeto surgiu devido a uma inquietação, que seria, com os avanços tecnológicos para ambientes de saúde como o desenvolvimento de novos medicamentos e equipamentos utilizando tecnologias, mas por outro lado ainda há uma defasagem na qualidade da assistência prestada nos ambientes de saúde. Onde os pacientes estão expostos a diferentes riscos quando submetidas aos procedimentos, principalmente os ambientes hospitalares devido à complexidade das ações executadas junto ao cliente. Estudos revelam que 10% dos pacientes internados sofrem algum tipo de evento adverso, sendo que destes, 66% poderiam ser evitados. Devido a isso, a segurança do paciente tem se tornado preocupação mundial para o sistema de saúde desde a década de 90. Dados de pesquisa nos Estados Unidos em 1999, indicam que os erros de cuidado à saúde causam aproximadamente de 44 a 98 mil eventos adversos anualmente em ambientes hospitalares.  Em 2004, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou o projeto Aliança Mundial para a Segurança do Paciente, cujo objetivo fundamental é prevenir danos aos pacientes, ação conhecida como Desafio Global, o qual lança um tema prioritário a cada dois anos para a adoção de práticas e soluções pelos membros da OMS, isso tem sido aplicado no mundo todo nos ambientes hospitalares para evitar causas de danos aos pacientes nestes setores Diante da preocupação atual em reduzir os índices de problemas evitáveis nos ambientes de saúde, o objetivo deste projeto é servir de suporte na implantação e manutenção do NÚCLEO DE SEGURANÇA DO PACIENTE do hospital Doutor Eulalino Ignácio de Andrade (HZS), buscando junto ao hospital identificar as necessidades mais urgentes e procurar minimizar ou resolver o problema em questão. Diante disso, uma das demandas elencada pela instituição, foi a necessidade de orientar a população como seriam sistematizados os atendimentos, para tal, o referido hospital buscando atender adequadamente, a população que procura seu serviço, ou seja, de forma individualizada, humanizada e segura, instituiu o processo de estratificação e classificação de risco, de acordo com as portarias do Ministério da Saúde que regulam os serviços de urgência e emergência, como exemplo a portaria 2048/2002. O processo foi implantado, no entanto, a população não conseguia entender como funcionava na prática e por várias vezes sentiam-se prejudicados, acreditando que pessoas que chegaram depois estariam burlando a fila de atendimento, o gerava descontentamento e conflitos, fato que não era verdadeiro. Para resolver a questão, integrantes do referido projeto, idealizaram a elaboração de um vídeo educativo que fosse realizado numa linguagem popular, que possuíssem imagens coloridas, cada detalhe seria muito importante, pois este recurso deveria levar informações simples e claras a população. Assim, o atendimento no referido hospital ocorreria de forma sistematizada e todos aqueles que procurassem por atendimento seriam atendidos dentro de sua necessidade, porém, seguindo a estratificação e classificação de risco.

A coordenadora do projeto e professora do curso técnico em enfermagem, Rosana Claudia de Assunção e o professor Flávio Navarro Fernandes, professor do curso Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, com seus respectivos estudantes,  fizeram o vídeo de acordo com a necessidade já comentada acima, após idas e vindas, sugestões realizadas pelo serviço, ajustes e testes, enfim, o vídeo foi consolidado e na semana passada o hospital já começou a exibi-lo nas 24 horas, numa televisão na sala de espera, orientando a população quanto ao processo de atendimento, tornando o serviço mais organizado e os usuários mais esclarecidos, condição imperante na assistência à saúde. Na sequência, segue nota de agradecimento do Diretor de enfermagem do Hospital Zona Sul – Londrina/PR, enfermeiro Geraldo Junior Guilherme 

“Bom dia!

Quero agradecer a parceria com o Instituto Federal, principalmente do curso de Técnico de enfermagem.

O vídeo que vocês fizeram sobre Acolhimento com Avaliação e Classificação de Risco já está funcionando na sala de espera do Pronto Socorro.

A população está, portanto, sendo bem informada sobre como acontece o atendimento em nosso Pronto Socorro.

Integração ensino/serviço com reflexo direto no atendimento à população. É assim que se aprende. É assim que se ensina.

Parabéns aos alunos, à professora Rosana e a todos os envolvidos.

 
Geraldo Junior Guilherme 

Diretor de enfermagem.

Hospital Zona Sul – Londrina/PR”

Galeria de Imagens